domingo, 28 de novembro de 2010

Seja sábado!

Na tentativa de enganar o dia deixou as tarefas do domingo por fazer

Seja sábado, seja sábado, ligou a HD barulhenta.

Após uma parada num barzinho encardido, camuflado em uma rua pacata do ABC,
driblou a vontade de fazer o retorno no Guarujá e entrou na entrada de sempre, ainda pensando: seja sábado... seja sábado.

#%$¨&%$@#@
Making-Off

Old School Motorcycle & Rock'n Roll Café onde é possível enganar o domingo pelo menos um pouquinho - Seja sábado, seja sábado...

domingo, 21 de novembro de 2010

Briguentos


São Jorge é o ilustre morador do altarzinho acima da porta de entrada.

Para proteger o quarto lançou mão do Arcanjo Miguel , acomodou-o no criado-mudo antiguinho comprado de segunda mão.

Já está coubiçando um Santo Expedito, e colocou na listinha uma Joana D'arc, sem nem notar, é devota só dos santos briguentos.

Making-Off
Sem desmerecer a santidade de ninguém, pois santo é santo e não se discute, só quero entender melhor como essa turma foi parar no paraíso, com exceção para o poderoso Arcanjo Miguel - General das Legiões Celestes que creio eu, sempre esteve por lá.

domingo, 30 de maio de 2010

Passarinho- Bomba

Levou consigo o ódio mortal que sentiu desde quando ainda era um ovo.
Os felinos e arquerivais haveriam de padecer.
No dia da vingança , pousou convicto no quintal.
Determinado, esperou uns cinco gatos se aproximarem.
Cercado pelos bichanos abriu as asas e detomou o cinturão bomba.
Os parentes dos gatos que viraram massaroca no atentado, juraram vingança...

####
Making-Off
Não tem, nem precisa.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Luz do medo

Um pensamento torturante invadiu sua mente : E se lá não tiver abajur, durmo de luz acesa?
Em Monte Verde, já de posse da chave, era chegada a hora do enfim sós.

Gordinho scaneou o chalé a procura de uma luz do medo, achou-as generozamente distribuídas à esquerda e à direita da cabeceira da cama, com reguladorzinho de intensidade e tudo.
Concluiu que a diária foi bem paga.

A noiva não quis luz nenhuma, já ele deixou sua luz do medo "no talo"
-Vai saber que tipo de assombração perambula nesse meio de mato.

Tentando dormir Gordinho sentia-se estranhamente quente, arrancou as meias, o pijama que ganhou da madrinha, em cuecas, sentia-se quente.
Virou para um lado, outro , fritava feito panqueca. Enquanto sua companheira dormia o sono dos justos.
-Amor está calor?
- Não, tá frio pra cassete ... dorme aí.

Assaltou o frigobar - Três vez, três H2O geladinhas, nenhum alívio duradouro.

Suando em bicas Gordinho toma outro banho morno quase frio, deita novamente e vai-se a noite em um eterno fritar.
Em agonia vulcânica, achou que ia bater as botas, estaria na menopausa? Abriram-se as portas do inferno?

Pela manhã após outro banho morno quase frio, sentou a bunda morna e sentiu que o colchão ainda estava quente.
-Mas que raios ???

Fez uma descoberta aterradora: a "luz do medo" era parte do mecanismo do aquecedor, cada um podia controlar o aquecimento do seu lado do colchão, quanto mais claridade na lâmpada, mais calor no colchão.

☼☼☼

Gordinho, é marmanjo barbado e tem medo de escuro.
Um dia sem maiores churumelas confessou à noiva seu medo pueril.
Ela nem-te-ligo-farinha-de-trigo, ama-o no claro ou escuro ou com luz do medo.

sábado, 3 de abril de 2010

Tática Poltergeist

Há anos tento falar com ele.

Uma vez o abraçei-o no quintal, na outra passeamos em um conversível vermelho

Para este 10 de abril, espero uma ligação naquele telefone de brinquedo, feito a menininha do Poltergeist.

O telefone é de R$ 1.99,00 - mas será aceita ligação à cobrar

♪♪♪
Making-off

Espero a chamada (ainda que à cobrar) do Sr. Joãozinho - Aquele do mini♥conto
"O Conserta-tudo" (publicado aqui em novembro de 2008)

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Lição

No Final da década de 80, depois de um mergulho no rio, houve quem achasse que tudo acabou.

A superação foi aos poucos, mas de forma consistente.

Surpresa boa, teimosia e determinação.

Já se arriscou de paraglider, ultraleve, e um rosário interminável de esportes radicais, esteve em Brasília a trabalho, não para nunca .

A cadeira, hoje companheira de muitas viagens ajuda a garantir a locomoção e a independência.

Eleito pelo segunda vez, e ainda arruma tempo para namorar moça bonita

♪♪♪
Making-off

Vida longa ao vereador L. T.
Nas suas palavras "viver e não um problema a resolver."
Vencedor - um mini-conto não dá nem para começar...

Em tempo: Data corrigida após manifestação do protagonista ( o ocorrido se deu 1989)