terça-feira, 23 de junho de 2015

DEU MERDA

A Shovel quebrada retardou a saída , fora isso,  sempre tem quem precise abastecer, calibrar ,consertar e acelerar.
Com destino a festança Confederada, sol amigo sob um trem bonito de traquitanas
carburadas , ou não , springers ,  ou não , harley davidsons sim.

Aviso  “CARGA VIVA”  estampado  no caminhão, melhor passar que ficar , baixa uma e acelera.
Por seu turno, a bucólica vaquinha malhada, fiofó frouxo , despretensiosamente , deu vazão a sua necessidade estrumal.
Não teve jeito, o cara do “recolhe” e o penúltimo felizardo, os solteiros mais serelepes do oeste paulista, foram agraciados com uma glamorosa chuva de merda .

Pit-stop no posto para checar o caminho, tirar sarro , limpar  cocô , e tomar café.

Making-off

27ª Festa confederada  - Stª Bárbara do Oeste . Valeu a pena cada  km de estrada de terra,  pedregulho solto, poeira  e cocô nos amigos.
Tadinhos !

TÁ (OU) VINDO?

Carburadas na poerinha de chão batido, ilusão de acertar o
caminho, sem lua,  nem estrela, só neblina adentro.

Depois de duvidar, fazer o nome do pai e bifurcar à esquerda e à
direita , barulho de carroça desgovernada retumbante.
Tá (ou)vindo?

Manobra rápida das traquitanas para lateral beira-porteira, estrondo e silêncio na encruzilhada . Gasolina gelada nas veias.
Sem carroça, cavalo ou cavaleiro, para socorrer, meia volta,
freio-motor à toda prova e fog no retrovisor.

Eu hein!

Making-off
História da Roça,  narração original da Tia Palmira do MS, só
encardi, taquei um pouco de gasolina e pronto.