segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Matuto

No inverno o matuto agachado esquenta no sol da manhã fumando um cigarro de palha.

A fumaça defuma a cara marcada de barba mal feita.

Veio para a cidade ser servente de pedreiro.

Sua alma de caipira ficou espremida, como seus pés largos que não cabem nas botas.

♥♥♥
Making-Off

Por acaso este matuto é irmão da Maria Coelha - a que contava histórias de assombração (na postagem anterior)