terça-feira, 30 de junho de 2009

Tradição etílica

Conforme a tradição inventada na hora, na primeira visita, o convidado deve beber um gole de água ardente.

Não é qualquer pinga, jaz na garrafa uma cobra em conserva, à moda Drink no Inferno, mas deixando as larvas da tequila respeitosamente no chinelo.

O Pai do Tenente foi quem preparou a iguaria, e a turma com gosto a herdou.

Coisa pra macho mesmo.

Sem escamas no copinho, entornei um gole da marvada e pronto.

♥♥♥
Making Off

Parece que o bicho era uma tal de Urutu (bem azarada) quem entende de cobra que me corrija.
Entre os que provaram e não provaram sobreviveram todos.
A bebida implicou em algumas crises conjugais, e teve gente que ficou sem beijar na boca só por conta de um golinho à toa.

Em tempo: Um brinde à hospitalidade Molamba.